Sobre nós

Sobre o Instituto Mãe Terra


O Instituto Mãe Terra é uma associação civil sem fins econômicos, fundada em out/2006, com sede no município de Porto Seguro, Território de Identidade Costa do Descobrimento – Bahia – Brasil, reconhecida como de utilidade pública municipal e estadual, que tem por finalidade principal o exercício de mútua colaboração entre os seus associados/as, visando à prestação, pela entidade, de quaisquer serviços que possam contribuir para a promoção do desenvolvimento social, econômico, cultural e ambiental de comunidades rurais, periféricas e tradicionais, através do apoio às suas organizações, práticas e estratégias sociais que busquem soluções sustentáveis de melhoria das condições de vida de seus territórios, na perspectiva do empoderamento comunitário e formação para autonomia, em consonância com a preservação do patrimônio natural, histórico, social e cultural da região.


O Instituto Mãe Terra nasceu pela necessidade de seus fundadores em lutar pela eletrificação rural na localidade em que residiam, e foi se desenvolvendo na militância pelo suprimento das demandas das populações vulnerabilizadas do município de Santa Cruz Cabrália e região.


Desde sua fundação, atua fortemente na assistência técnica às associações e cooperativas de base comunitária, regularizando-as juridicamente e fomentando nas próprias localidades e territórios, através de seus programas/projetos/ações, a criação de estratégias de sobrevivência familiares e a diversificação de modos de vida e iniciativas que gerem impactos significativos na melhoria das condições de vida das populações, ampliando suas perspectivas de garantir sua reprodução social, cultural e econômica.


Não é por acaso que a missão do IMT é Potencializar os ativos das pessoas e das comunidades tradicionais, do campo e periféricas, para o desenvolvimento integral e fomento dos seus arranjos produtivos, engajadas/os com a construção do bem viver”. 


Em mais de 17 anos de atuação em comunidades vulnerabilizadas de 31 municípios de 3 Territórios de Identidade do Estado da Bahia – Litoral Sul, Extremo Sul e Costa do Descobrimento – promovemos: 

a) assessoramento técnico (jurídico e contábil-fiscal) a associações/cooperativas comunitárias, visando fortalecê-las institucionalmente para articulação de suas demandas e gestão de seus projetos/ações; 

b) estruturação e fortalecimento de empreendimentos econômicos solidários e promoção de outras economias (solidária, criativa, circular, social etc.); 

c) assistência técnica e extensão rural a projetos em diversas cadeias produtivas (agroflorestas, apicultura, agroindústria, artesanato, bovinocultura, piscicultura etc.); 

d) ações de promoção da segurança alimentar e nutricional (alimentação, nutrição e saúde) a partir do reconhecimento, respeito e valorização de hábitos, saberes e fazeres locais; 

e) qualificação socioprofissional de trabalhadores/as rurais e urbanos com foco na geração de renda e inserção no mercado de trabalho (agricultura, pesca, cultura, turismo etc.); 

f) diagnóstico situacional do trabalho infantil de crianças e adolescentes junto a escolas públicas, utilizando metodologia interativa diagnóstica própria (contação de histórias, vernissages, saraus culturais, talk-shows etc.); 

g) oficinas socioeducativas com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade socioeconômica e risco de inserção precoce no mercado de trabalho e outras violações de direitos; 

h) oficinas socioprodutivas com foco na geração de renda e promoção da autonomia financeira das mulheres com crianças e adolescentes em situação e/ou risco de trabalho precoce; 

i) qualificação socioprofissional de jovens com foco em associativismo/cooperativismo e empreendedorismo social em áreas de interesse e demanda; 

j) atividades de incentivo à leitura, com doação de livros infantis da literatura brasileira; 

l) verificação da potabilidade da água consumida pelas famílias, com entrega de hipoclorito de sódio, orientação de técnicas de filtragem e palestras educativas; 

m) atividades de incentivo e valorização do esporte educacional, estimulando-o como estratégia de superação de desigualdades, dentre outras atividades que compõem nossas macro ações.


Dada a essa atuação situada e comprometida com o território, seus sujeitos e dilemas sociais, possuímos mais de 45 parcerias firmadas com o poder público, organismos internacionais, empresas ou outras OSCs, o que nos coloca (nas palavras dos apoiadores) como “exemplo de atuação territorial com potencial de expansão, replicabilidade e referência de impacto socioambiental no Sul da Bahia”. 


Estamos estruturados em 4 macro ações: 


  1. ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS, voltada às estratégias de: promoção da economia solidária e outras economias; assistência técnica e extensão rural e; fomento das culturas e identidades locais; 

  2. DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DE CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS: práticas socioeducativas com crianças; práticas de orientação com adolescentes e; formação socioprofissional de jovens agentes de desenvolvimento comunitário; 

  3. GESTÃO DO CONHECIMENTO E PERCURSOS FORMATIVOS: qualificação socioprofissional de trabalhadores/ras do campo e da cidade; formação livre de atores e gestores sociais e; sistematização e democratização de conhecimento; 

  4. PARTICIPAÇÃO, ARTICULAÇÃO EM REDE E APOIO INSTITUCIONAL, voltada às estratégias de: atuação em instâncias participativas; articulação e dinamização de redes colaborativas e; fortalecimento institucional de organizações da sociedade civil. 

Por meio de iniciativas socioambientais estruturadas com base nessas macro-ações, o Instituto Mãe Terra tem como visão “Ser um agente potencializador de tecnologias sociais para promoção do bem viver no Sul da Bahia”. 


Elegemos como nossos resultados institucionais:


  • Empreendimentos atuantes com base nos princípios do comércio justo;

  • Condições socioeconômicos de famílias das comunidades-alvo melhoradas;

  • Agricultores/ras familiares utilizando práticas agroecológicas e engajados em cadeias produtivas limpas;

  • Nível de segurança alimentar e nutricional das famílias assistidas aumentado;

  • Comunidades tradicionais, do campo e periféricas fortalecidas, social e economicamente;

  • Saberes e fazeres populares e tradicionais preservados e multiplicados.

________________


  • Infância protegida e múltiplas violências identificadas, visibilizadas e enfrentadas em rede, sobretudo as relacionadas ao trabalho infantil;

  • Adolescentes orientados psicossocialmente, e com seus projetos de vida e identidade construídos;

  • Jovens de comunidades tradicionais, do campo e periféricas demonstrando expansão de conhecimentos, reconhecimento e assunção das suas identidades socioculturais, e aumento da suas capacidades de mobilização comunitária e de transformação dos seus espaços de vivência;

  • Vínculos fortalecidos: na família, escola e comunidade.

________________


  • Trabalhadores/ras inseridos em processos produtivos de geração de trabalho, emprego e renda;

  • Atores e gestores sociais sensibilizados para os princípios e práticas do bem viver;

  • Comunidades, organizações parceiras e sociedade em geral com acesso livre e plural ao conhecimento produzido pela organização;

________________


  • Controle social nas políticas públicas exercido, e papel/espaço de participação das OSCs reforçado;

  • Instituto Mãe Terra transparente e com credibilidade em sua atuação fortalecida;

  • Capilaridade na atuação do Instituto Mãe Terra expandida nos territórios-alvo;

  • Posicionamento e visibilidade do Instituto Mãe Terra fortalecidos nos territórios de atuação;

  • Reconhecimento e legitimidade do Instituto Mãe Terra fortalecidos junto a organizações pares.